GNSS europeus na América Latina

A América Latina é uma região fundamental para o desenvolvimento de colaborações GNSS, aplicações e mercados para uma série de razões. A diversidade e extensão das suas pessoas e terras, juntamente com suas economias emergentes constituem um excelente quadro para o tudo o ciclo de vida aplicações GNSS. Desde o desenvolvimento, até o mercado de produção, passando por testes, análises, etc em diferentes setores da indústria diferente e função pública e investigação .

A Comissão Europeia é consciente deste facto e, desde o início do programa GALILEO, vem promovendo sinergias na região para que os atores locais podem se beneficiar de seus serviços. Isso inclui os governos, indústria, instituições de pesquisa, o público em geral, etc

Em primeiro lugar, a UE procura conscientizar sobre a existência e as possibilidades de GALILEO, transmitindo a mensagem de que GALILEO é uma nova realidade com os satélites que está sendo lançados durante estes anos, e chegar a uma primeira capacidade operacional até final de 2014. Isto inclui também, em conjunto com o GPS norte-americano, os vários sistemas GNSS que estão sendo disponibilizadas para o uso geral, como o GLONASS russo ou o chinês Compass, mas também o sistema EGNOS SBAS, cujo sinal satélite cobre uma grande parte do Brasil

Logo, a UE está a incentivar e financiar projectos e iniciativas na região para promover ou desenvolver aplicações GNSS. Este Centro de Informação GALILEO é uma dessas iniciativas, e você pode encontrar outros projectos principais aqui .

Finalmente, a UE também é consciente das particularidades da América Latina e que cada país e região exige soluções adaptadas à sua realidade, mas também oferece oportunidades específicas para colaborações GNSS. Uma série de negociações estão a aconteçer para chegar a acordos bilaterais em diferentes países a fim de permitir e incentivar a colaboração e abordar conjuntamente ambas as oportunidades e os problemas para GNSS na região.